• Franciscanos do RS

SETIMO DIA – 03 DE ABRIL – SEXTA FEIRA

VIA SACRA FRANCISCANA

1. PREPARAÇÃO

- Escolha um lugar no qual você possa ficar sozinho(a), recolhido(a) e em silêncio. Se possível, prepare uma Cruz, uma imagem de Nossa Senhora e (se tiver) o cartaz da Campanha da Fraternidade. Poderia também acender uma vela.


2. ORAÇÃO INICIAL

- Para começar reze, se puder de joelhos, esta pequenina mas bela e preciosa Oração de São Francisco:

Nós vos adoramos, santíssimo Senhor Jesus Cristo,

aqui e em todas as vossas igrejas, que estão no mundo inteiro

e vos bendizemos porque pela vossa santa Cruz, remistes o mundo.


Continuando a preparação acompanhe, devotamente este canto:

Bendita e louvada seja: https://www.youtube.com/watch?v=_jHwK5N0ung


3. MOTIVAÇÃO PARA O SÉTIMO DIA DO RETIRO

https://youtu.be/fOQBEuDI1Us


4. REFLEXÃO

A história da Via-sacra

A Via-sacra é o caminho que se estende entre a Fortaleza Antonia e o Gólgota, ao longo do qual Jesus carregou a cruz. O exercício religioso, muito usual no tempo da Quaresma, teve origem na época das Cruzadas, por volta dos séculos XI e XIII. Os fiéis que percorriam os lugares sagrados da Paixão de Cristo na Terra Santa, quiseram reproduzir no Ocidente a peregrinação feita ao longo da Via Dolorosa em Jerusalém. O número de estações ou etapas dessa caminhada foi sendo definido paulatinamente, chegando à forma atual, de quatorze estações, no século XVI. O Papa João Paulo II introduziu, em Roma, a mudança de certas cenas desse percurso não relatadas nos Evangelhos por outros quadros narrados pelos evangelistas.

A nova configuração ainda não se tornou geral. O exercício da Via-sacra tem sido muito recomendado e praticado pelos Sumos Pontífices, pois ocasiona frutuosa meditação da Paixão do Senhor Jesus. Por Via-sacra entende-se um exercício de piedade segundo o qual os fiéis percorrem mentalmente com Cristo o caminho que O levou do Pretório de Pilatos até o monte Calvário; compreende quatorze estações ou etapas, cada qual apresenta uma cena da Paixão a ser meditada pelo discípulo de Cristo. Já no séc. IV, os romeiros visitavam a Terra Santa, de maneira informal, os santos lugares onde aconteceram a Paixão e Morte de Jesus. Este costume transformou-se no exercício da via-sacra praticado hoje, especialmente na Quaresma. Esta tradição foi retomada no séc. XII pelos franciscanos em Jerusalém, onde na Via Dolorosa colocaram algumas capelinhas e marcas de pedra. Estas já seguiam a ordem cronológica e a via-sacra começou a encontrar sua forma atual, justamente no tempo da crescente devoção para com os sofrimentos de Jesus. Para quem não podia ir até a Terra Santa, os mesmos franciscanos divulgaram as estações da Via Crucis substituida por quadros pintados. A Via-Sacra tem sua origem fundada dentro da espiritualidade franciscana. Francisco tinha especial devoção pela encarnação de Cristo; o assumir, por parte de Deus, a nossa humanidade. E, nesse mistério kenótico do Filho de Deus se contempla a encarnação, natal, e paixão; e, englobando todos, como centro e ápice, a Eucaristia. Narra-se em Tomás de Celano: “Desde então, grava-se na sua santa alma a compaixão do Crucificado..., e no coração dele são impressos mais profundamente os estigmas da venerável paixão, embora ainda não na carne”. (2Cel 10,8).

Em outra narrativa da Legenda dos Três Companheiros Francisco também demonstra essa particular devoção: “Uma vez, caminhava solitário perto de Santa Maria da Porciúncula, chorando e lamentando em alta voz. Um homem espiritual, ouvindo-o, julgava que ele sofresse de alguma enfermidade ou dor e, movido de compaixão para com ele, interrogou-o por que chorava. E ele disse: ‘Choro a paixão de meu Senhor, pelo qual eu não devia envergonhar-me de ir chorando em alta voz por todo o mundo’. O outro também começou a chorar com ele em alta voz”. A partir da espiritualidade os franciscanos viram na via-sacra como que uma externação do que buscavam; ou, a quem buscavam se assemelhar. Assista a um vídeo especial, produzido pela equipe da Canção Nova na Terra Santa, sobre a história da Via Dolorosa:

5. VIA-SACRA FRANCISCANA

Introdução:

Via-sacra, significa, Caminho sagrado, e é chamada assim porque faz a memória do caminho percorrido por Jesus Cristo, o Filho de Deus, que veio morar entre nós, vivendo nossa natureza, nossa história em tudo, menos no pecado. Desde então, todos os caminhos humanos são sagrados e devem ser vividos como tais.

Trata-se de uma celebração tipicamente franciscana, embora quem a tenha inventado e incentivado muito não tenha sido São Francisco, mas seus sucessores, principalmente São Leonardo de Porto Maurício (1676-1751). Esse franciscano, fazendo eco a São Francisco, pregava muito que jamais deveríamos esquecer tudo quanto o Filho de Deus sofreu por nós, principalmente sua Paixão na Cruz. Dizia que o exercício da Via-sacra, através do qual se celebra o infinito amor de Deus para conosar´pco, era o melhor remédio para todos os males de uma Paróquia.


1ª Estação: Jesus é preso e condenado à morte

- Judas, o traidor, tinha-lhes dado esta senha: “Aquele a quem eu beijar é Jesus. Prendei-o e levai-o com cuidado”. Tão logo chegou, Judas aproximou-se de Jesus e disse: “Mestre!” e o beijou. Eles agarraram Jesus e o prenderam. (Lc 14,44-45).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Ama, pois, de verdade, seu inimigo quem não se dói pela injúria que lhe é feita, mas se abrasa pelo amor de Deus por causa do pecado de sua alma e mostra-lhe caridade por meio de obras (Ad 9).

2ª Estação: Jesus acolhe e carrega a Cruz

-Diz o Apóstolo: Considerai, pois, atentamente, irmãos, Aquele que suportou a Cruz e sofreu tantas contrariedades por parte dos pecadores sem fazer caso da vergonha (Hb 12,2-3).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Atendamos, Irmãos, o Bom Pastor, que para salvar suas ovelhas, suportou a Paixão da cruz. As ovelhas do Senhor seguiram-no na tribulação e na perseguição, na vergonha e na fome, na enfermidade e na tentação e em tudo o mais [...]. Por isso, é grande vergonha para nós, servos de Deus, que os santos tenham feito obras e nós queiramos receber glória e honra apenas por citá-las (Ad 6).


3ª Estação: Jesus cai pela primeira vez

- Os escribas e fariseus estão sentados na cátedra de Moisés [...], amarram pesadas cargas e as põem nas costas dos outros, mas eles mesmos nem com o dedo querem tocá-las [...]. Aquele que se exaltar será humilhado e quem se humilhar será exaltado (Mt 23,2; 4; 12).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Bem-aventurado o servo que se acha tão humilde no meio dos súditos como se estivesse no meio dos seus senhores. Servo fiel e prudente é aquele que em todas as suas ofensas não tarda em punir-se interiormente pela contrição e exteriormente pela confissão e satisfação da obra (Ad 23).


4ª Estação: Jesus encontra-se com sua Mãe

- Disse então o velho Simeão à Maria: Este Menino será destinado a ser ocasião de queda e de elevação de muitos em Israel e sinal de contradição. E quanto a ti uma espada atravessará tua alma! Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações (Lc 2,34-35).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Eu, Frei Francisco, pequenino, quero seguir a vida e a pobreza do altíssimo Nosso senhor Jesus Cristo e de sua santíssima Mãe e nela perseverar até o fim. (UVC 1)


5ª Estação: Simão Cirineu ajuda Jesus a carregar a Cruz

- Enquanto conduziam Jesus para o Gólgota, agarraram um certo Simão de Cirene, que vinha da lavoura, e o encarregaram de levar a cruz atrás de Jesus (Lc 23,27).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Atende, ó homem, a que excelência te pôs o Senhor Deus, porque Ele te criou e te formou à imagem do seu dileto Filho, segundo o corpo, e à sua semelhança, segundo o espírito. [...]. De que, então, podemos gloriar-nos? [...]. Nisto podemos nos gloriar: em nossas fraquezas, e em carregar todos os dias a santa Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo (Ad 5).


6ª Estação: Verônica enxuga o rosto de Jesus

- O Senhor Deus me abriu o ouvido e eu não fui rebelde nem recuei. Entreguei minhas costas aos que me batiam e minhas faces aos que me arrancavam a barba; não escondi o rosto aos ultrajes e às cusparadas (Is 50,5-6).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Ó Deus, a ti expus a minha vida, diante dos teus olhos coloquei minhas lágrimas. Meus inimigos todos, males tramaram contra mim, e reunidos em conselho espreitam minha vida (OP 1,1-2).


7ª Estação: Jesus cai pela segunda vez

- Todo aquele que ouve as minhas palavras e as põe em prática é como um homem prudente que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva e vieram as enxurradas, sopraram os ventos e deram contra a casa, mas ela não desabou porque estava fundada sobre a rocha (Mt 7,24-25)

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Neste caminho em que eu andava os soberbos me armaram um laço. Olhava para a direita e não havia quem me conhecesse. Não tenho aonde fugir e não há quem se importe com minha alma. Um estranho tornei-me para meus irmãos e um peregrino para os filhos de minha mãe (OP 5,4-8).


Ouça e medite este canto:

Ó face ensanguentada: https://www.youtube.com/watch?v=UR1cVJG8aU8


8ª Estação: Jesus consola as mães de Jerusalém

- Seguia Jesus uma grande multidão de homens e mulheres que batiam no peito e o lamentavam. Voltando-se para elas, disse Jesus: “Filhas de Jerusalém, não choreis por mim! Chorai, antes, por vós mesmas e por vossos filhos” (Lc 23,28).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Choro a Paixão do meu Senhor, e por isso não deveria envergonhar-me de andar pelo mundo inteiro, chorando em alta voz (LTC 14,6).


9ª Estação: Jesus cai pela terceira vez

- Vi muito bem a aflição do meu povo e ouvi seus gemidos. Por isso, desci para libertá-lo. Agora, pois, vai. Sou eu que te envio como [...] chefe e libertador (At 7,34-35).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Esta Palavra, tão santa e tão gloriosa, [...] recebeu a verdadeira carne de nossa humanidade e fragilidade. Sendo rico, acima de todas as coisas, Ele mesmo, o Senhor, quis no mundo escolher a Pobreza (2CF 2-5).


10ª Estação: Jesus é despojado de suas vestes

- Desde então, Jesus começou a mostrar com toda a clareza, a seus discípulos, que era necessário Ele ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, sumos sacerdotes e escribas e ser crucificado (Mt 16,21).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: O Senhor Jesus diz: “Quem não renunciar a tudo que possui, não pode ser meu discípulo [...]”. Abandona tudo quanto possui, e perde seu corpo, o homem que a si mesmo se oferece todo à obediência nas mãos do seu prelado (Ad 3,1-2).


11ª Estação: Jesus é pregado na Cruz

- Quando chegaram ao lugar chamado Gólgota, ali crucificaram Jesus e os dois criminosos, um à direita e outro à esquerda. Jesus dizia: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem!”(Lc 23,33-34).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: E também, não foram os demônios que crucificaram o Senhor, mas tu, com eles, o crucificaste e o crucificas ainda hoje, deleitando-te em vícios e pecados (Ad 4,3).


12ª Estação: Jesus morre na Cruz

- Já era quase meio-dia. O sol escureceu e a cortina do templo se rasgou ao meio. Clamando em alta voz disse Jesus: “Pai, em tuas mãos entrego meu espírito”. Dizendo isto expirou (LC 23,45-46).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: O suor de Jesus se fez como gotas de sangue escorrendo na terra. Contudo pôs sua vontade no Pai, dizendo “Pai, faça-se a tua vontade; não como eu quero, mas como Tu queres (2CF 9-10).


13ª Estação: Maria acolhe o corpo de Jesus

- Junto à Cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas e Maria Madalena (Jo 25).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Onipotente, santíssimo, altíssimo e sumo Deus, Pai santo e justo, Senhor Rei do céu e da Terra [...], te rendemos graças porque como nos criaste por teu Filho [...] o fizeste nascer verdadeiro Deus e verdadeiro homem da gloriosa sempre virgem Maria. E a nós, cativos, quiseste redimir por sua Cruz, sangue e morte (RNB 23,1;3).


14ª Estação: Jesus é posto no sepulcro

- No local onde Jesus tinha sido crucificado havia um jardim e no jardim um sepulcro novo. Foi ali que José de Arimatéia e Nicodemos puseram Jesus (Jo 19,41-42).

- Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo e vos bendizemos.

- Porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo!

- Diz São Francisco: Onipotente, santíssimo, altíssimo e sumo Deus, Pai santo e justo, Senhor Rei do céu e da Terra [...] te rendemos graças porque teu próprio Filho há de vir na glória de sua majestade para [...] dizer aos que te conheceram e te adoraram e te serviram na penitência: “Vinde benditos de meu Pai, recebei o reino que está preparado para vós desde a origem do mundo (RNB 23,4).


6. ORAÇÃO

Onipotente, santíssimo, altíssimo e sumo Deus, Pai santo e justo, Senhor Rei do céu e da Terra [...], todos nós, frades menores, servos inúteis, suplicantes, te pedimos que Nosso Senhor Jesus Cristo, teu dileto Filho, no qual tiveste tua boa complacência, com o Espírito Santo Paráclito, por tudo te renda graças, conforme agradar a ti e a Ele e [...] humildemente rogamos e suplicamos que todos perseveremos na verdadeira fé e penitência, porque de outro modo ninguém pode se salvar (RNB 23). Por NSJC.

(Um tempo para meditar:

o que de mais admirável e importante tem nesta Via Sacra para minha vida).


Ouça e acompanhe as estações cantadas:

https://www.youtube.com/watch?v=lyIZBVJxkGc


7. CONCLUSÃO:

- Antes de concluir faça suas preces. Não esqueça os atingidos por esta pandemia e por todos aqueles que de uma ou de outra forma trabalham para eliminá-la.


Reze esta Oração:

Onipotente, eterno, justo e misericordioso Deus, concede a nós, míseros, fazer por causa de ti mesmo, o que sabemos que Tu o queres e sempre querer o que te apraz, para que, assim, interiormente purificados e iluminados e abrasados pelo fogo do Santo Espírito, possamos seguir os vestígios do teu dileto Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, e chegar, unicamente por tua graça, a ti, Altíssimo, que na Trindade perfeita e na Unidade simples vives e reinas e és glorificado, Deus Onipotente, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Reze o Nós vos adoramos:

Nós vos adoramos, santíssimo Senhor Jesus Cristo,

aqui e em todas as vossas igrejas, que estão no mundo inteiro

e vos bendizemos porque pela vossa santa Cruz, remistes o mundo.


- Envie esta bênção de São Francisco a todas as pessoas do mundo inteiro:

Irmãos e Irmãs

O Senhor vos abençoe e vos guarde;

vos mostre a sua face e tenha misericórdia de vós.

Volva para vós o seu rosto e vos dê a paz.

O Senhor vos abençoe, o Pai e o Filho e o Espírito Santo. Amém.

186 visualizações1 comentário

CONTATO

LINKS

Secretaria Provincial

SAV - Serviço de Animação Vocacional

Comunicação

Facebook

© 2019 Todos os direitos reservados - Província Franciscana de São Francisco de Assis no Brasil

logo_easy_branco.png